28 de abril de 2010

Minhocas

Já tem passado um longo tempo desde a última vez que escrevim um novo post, desculpas a leitores e amigos, mais a vida tem sido dura por momentos nestes últimos meses -a minha companheira e máis eu, que levamos algum tempo à busca de meninhos, tivemos um aborto hai já algumhas semanas... Mais a vida segue, e nos seguimos coa nossa teima :-) 
Com todo, nom queria eu deixar passar outro mês em branco, e com este agalho hei escrever algo dum bicho cujo nome é per se fermoso, a minhoca. Primeiramente, heis o que nos contam alguns dos nossos dicionários (do Dicionário de Dicionários):
Sarmiento (s. XVIII): miñoca 'gusarapo'
Bernardo Vicente Payzal (1800c): miñoca 'lombriz'
Francisco Javier Rodríguez (1854c): miñoca 'Gusano, lombriz de tierra. Es buena para el reumantismo, frita en aceyte. En port. se pron. igualmente.'
X. L. Franco Grande (1972): miñoca 'Lombriz, gusano de tierra, perteneciente a los anulares o anélidos, familia de los abranquios cerdíferos; cagulo.'; mioca 'lombriz de tierra.'
Por outra banda, som moi interessantes a variedades dialectais recolhidas por diversos autores; as principais som desde logo minhoca e mioca (mïoca remarca Aníbal Otero Álvarez no Vocabulario de San Jorge de Piquín, Universidade de Santiago, 1977), onde a primeira é de seguro umha forma com nasal anti-hiática derivada da segunda, como tamém semelha ter orige anti-hiática o /ʃ/ de mixoca / mijoca. No ocidente das Astúrias sentem-se tamém outras formas como miroca, onde se nom minto, o r nom pode ser epentético, mais etimológico... Semelha que todas as anteriores formas bem se poderiam explicar desde um étimo *miloca, por sua vez derivado dum máis antigo *mīlocca, onde o -occa é um sufixo hipocorístico, provavelmente céltico. E máis o *mīlo-? Surpresa ou nom, o Matasovich informa:
Proto-Celtic: *mīlo- 'animal' [Noun]
Old Irish: míl [o n]
Middle Welsh: mil
Middle Breton: mil [m]
Cornish: mil
Proto-Indo-European: *meh1lo- 'small animal'
Page in Pokorny: 724
IE cognates: Gr. me̋lon, OCS malъ 'small'
References: LEIA M-51, De Bernardo Stempel 1999: 44.
Em consequência, suspeito que a nossa minhoca é, com toda propriedade, umha “bichoca”. Será, nom si? Como tantas outras vezes, quando umha verba galego-portuguesa nom é conhecida ou nom é comum em castelám, é frequentemente porque tem a sua orige quer nas línguas pre-latinas, quer nas germánicas, ou quer em latinismos arcaizantes. E nestes casos é frequente que o asturiano ou o leonês coincidam coa nossa língua; efectivamente, o asturiano conhece as suas próprias variedades (cf. Diccionario Asturiano de La Nueva España): miruca, moruca, muruca, moluca, meluca, moruga, miroca, mirucu, morucu, moluco, morúcana, e máis um moi interessante milu / miriu... Estas formas penso que confirmam o étimo proposto no tema *mīlo- 'bicho', ainda que provavelmente presentam interferência dalgumha outra palavra relacionada (ou bem temos mi > mo por mor da consoante bilabial: Mendunietum ˃ Mondonhedo). Com todo, para a nossa língua penso que a seguinte evoluçom é moi provável:
*mīlocca ˃ *miloca ˃ gal. miroca / mioca ( ˃ minhoca / mijoca)
Prometo outro dia falar de alboios 'galpom' ˂ PCl *are-bowio- 'Para-Vacas', dos meninhos ˂ PCl *menwo- 'pequeno', das tonas, e demais verbas vivas e bem vivas que nos achegam aos galegos que aqui amavam, sofriam, suavam, sorriam hai já dous-mil anos... E que, entia non sunt multiplicanda, seica falavam celta ou algo do estilo.