12 de agosto de 2012

Máis germanismos: francada, fananco, fana

Francada 'fisga, tridente ou arpom de vários dentes' 

Aparentemente é umha formaçom coletiva (cf. rapazada) dum extinto *franca/franco, sem dúvida do Germánico *frankōn 'javalina' (nórdico antigo frakka 'javalina, dardo', inglês antigo franca 'javalina, lança'). Sendo estas verbas desconhecido tanto em Castelam como em Português, é provavelmente melhor atribuí-la aos suevos que aos godos. Por outra banda, sendo um instrumento próprio dos ofícios do mar, nom desboto que a verba for inicialmente tomada de navegantes ingleses, frisons ou holandeses, durante a idade média. Contodo, estranha aí a sua ausência no português.
O seu primeiro uso escrito deve-se, se nom minto, a Sarmiento, no seu “Coloquio de 24 Gallegos rusticos'' (1745):
Querían pescá-los
a todos arreo
cal se fosen peixes
con seus estromentos,

a uns de rapeta,
a outros ao xeito,
outros ao volante
con ganchos de ferro,

de secada muitos,
con ferros rastreiros,
outros de sacada
e todos con cerco;

uns con canivelas
querían collé-los,
con francadas outros
que andan sen señeiros

Fananco 'planta de pantanal, Fana 'corrimento de terras'

A forma que abonam os nossos dicionários é fananco, embora num cancioneiro popular da Límia publicado em 1973 por Xaquin Lorenzo Xocas recolhe-se a forma fanango, coido que máis próxima ao étimo. Esta verba procede ao meu entender dumha forma antiga *fannengo ou *fennengo dum germánico ocidental (dado que a reduplicaçom de consoante por iode nom é um fenómeno fonético conhecido do gótico bíblico) *fanningz *'(o que é próprio do) pántano', do proto-Germanico *fanjan 'pántano, barro, lama'. No dicionário etimológico de Vladimir Orel:
*fanjan sb.n.: Goth fani ‘clay, mud’, ON fen ‘fen, quagmire’, OE fen ‘fen, marsh, mud, dirt’ (masc. and neut.), OFris fenne ‘wet meadow’ (masc., fem.), OS feni, fenni ‘swamp, fen’, OHG fenni id.
Mesma etimologia tem o castelám fango 'lama' (tomado do catalám fang), e o Francês fange.
Penso que é tamém essa a orige do nosso galego fana 'corrimento de terras', dum étimo *fanna < *fannja < *fanjan 'argila, barro, lama'.

2 de agosto de 2012

Gallecia, era millesima

Quase um sem palavras, ainda que gostaria de trabalhar nas etimologias e geografia dos topónimos indicados no seguinte mapa:


(Link à image aqui)
Está elaborado cos dados da nossa documentaçom altomedieval, até o ano 1050, aproximadamente. A minha primeira ideia era a eleboraçom dum mapa dos territórios e comissos do nosso país (que tempos estes tempos nos que o facto de escrever estas simples verbas, quando a falar da Galiza, é toda umha declaraçom afectiva e política :-p), mais depois o projecto tomou as suas próprias decisons, e passei a incorporar umha parte dos topónimos e hidrónimos nomeados. Umha nota: os valeiros no mapa, que por vezes amossam autênticos desertos (v. g. as terras altas do Límia, outrora umha extensa lagoa), som polo geral umha consequência da desapariçom e perda das nossa fontes.